Aprendi com a minha mãe

Na Pedagogia aprendi que a maternagem se aprende
em casa… com a convivência diária com a mãe.
Com a minha mãe aprendi a ser mãe…
…e, como costumo dizer, sou uma versão atualizada dela.
Com ela aprendi o amor, a alegria, a disciplina, o limite, as chatices,
as implicâncias, os trabalhos manuais… e a importância de conviver em família.
E hoje tenho a alegria e a graça de ser mãe…
…ser mãe de quatro filhos.
Quatro pessoas que são a minha mistura com My love…
…e que são serem únicos e especiais.
Quanto aprendizado, alegria, diferenças, cumplicidade…
…e muito, mas muito amor.
“Mãe dá o beijo e logo depois a palmada.
Mãe se vira para sair para o trabalho, assar a carne,
limpar nosso nariz e discutir com a professora.
Mãe atravessa o oceanos para nos salvar de uma roubada,
se mete na escolha do marido ou da namorada
e acha que o filho é o mais lindo do mundo.
Mãe dá banho, abotoa o uniforme, acerta 
quantas colheres de chocolate se põe no leite. 
Mãe grita que vai embora para sempre e dali a pouco traz
um prato de canja para o filho não dormir sem janta.
 Mãe pega a gente na mentira, mesmo que ninguém abra a boca. 
Mãe bota a culpa na gente, mas sempre se culpa muito mais. 
Mãe chora quando o filho aprende.”
(Cristina Ramalho)
Mãe é única… é o rosto humano de Deus.
Você poderá gostar também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *